terça-feira, 22 de abril de 2014

Uma Criatura Dócil, F.M. Dostoiévski


Título: Uma Criatura Dócil
Título Original: Krotkaia
Escritor: Fiódor Mikhailovitch Dostoiévski (Rússia)
Ano de Publicação: 1876
Editora: Cosac Naify
Páginas: 97

Uma Criatura Dócil é uma novela escrita por Dostoiévski a partir de um caso noticiado por um jornal russo um mês antes. Tratava-se do suicídio de uma jovem que foi para a capital russa em busca de uma vida melhor e acabou encontrando apenas mais pobreza e miséria. Dostoiévski, inspirado por esse caso, criou uma personagem sem nome de 16 anos que casa com um homem muito mais velho e que transforma sua vida em um martírio.

Dostoiévski, nessa pequena grande obra, explora com genialidade as nuances da personalidade humana. Temos aqui um homem de meia idade, proprietário de uma casa de penhores, que encontra em uma aparentemente dócil menina de 16 anos a esposa ideal. Esse homem amargurado, machista, controlador e frio encontra alguém pobre e sem perspectivas sobre quem exercer sua influência. Depara-se, contudo, com uma resistência silenciosa e persistente que prefere a morte à submissão. Uma Criatura Dócil é um livro de grande profundidade psicológica e permeado por jogos de poder e resistência que só chegam ao leitor pelo olhar enviesado do personagem principal.

A forma do livro é um atestado do talento de Dostoiéski. O livro começa logo após o suicídio e termina exatamente onde começou, num movimento circular que impede o leitor de sentir tristeza ou surpresa com o ocorrido. O que temos aqui é um personagem principal que busca se explicar para o leitor e para si mesmo, numa tentativa de compreender o ocorrido. Entramos nos pensamentos desse homem atormentado e acompanhamos suas intensas argumentações internas. Daí porque Dostoiévski classifica essa obra como um realismo fantástico. O realismo está no fato de que os pensamentos e sentimentos do personagem principal são apresentados de uma forma extremamente verossímil: há contradições em seu discurso, há divagações que ele logo reconhece, voltando para o ponto principal, e há momentos em que ele deixa transparecer sua personalidade mesquinha e autoritária, mesmo que ele tente culpar "a criatura dócil" pelo suicídio. Já o fantástico está no fato de que é impossível saber o que acontece dentro da cabeça de alguém, sendo essa janela aberta pelo romance sem dúvida imaginada e fantasiada.   

Uma Criatura Dócil é um livro do submundo, da pobreza e da humilhação. Seus personagens são extremamente solitários, infelizes e atormentados. É uma obra que mexe profundamente com o leitor, justamente porque explora tudo aquilo que insistimos em jogar embaixo de tapete. Não temos aqui personagens adoráveis com os quais nos identificamos. Os sentimentos variam entre pena, asco, confusão e revolta. Esses são personagens acima de tudo marcados por uma realidade cruel e por uma vida injusta. O casamento é para essa menina de 16 anos uma possibilidade de sobrevivência, já que seus pais estão mortos, suas tias a exploram e ela não consegue um emprego. Já para o proprietário da casa de penhores, o casamento é uma chance de ser amado, idolatrado e respeitado por alguém, o que apagaria um passado humilhante e covarde. São duas criaturas à deriva que acabam destruindo-se. 

Uma Criatura Dócil é um livro brilhante, mas não é para todos. O leitor deve estar disposto a mergulhar nesse submundo e deve ter estômago para suportar o que vai encontrar, mas quem chega ao final do livro encontra nada mais nada menos do que uma obra-prima.      

Nota no skoob: 5 de 5.

OBS: Essa edição da Cosac Naify contém belíssimas ilustrações de Lasar Segall, todas relacionadas aos principais momentos da narrativa. É uma obra de arte dentro de uma obra de arte.

Vídeo no YouTube:

4 comentários:

  1. Depois que eu li Crime e Castigo decidi que leria tudo de Dostoiévski. Até agora não consegui, mas me deparo com essa excelente resenha que você fez e acho que vou inclur esse livro na meta de leitura para o próximo mês.

    Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Flávia, Crime e Castigo mexeu demais comigo! Foi o primeiro livro que eu li que me tirou do eixo, sabe como é? Dostoiéski tem esse poder sobre a gente...
      Uma Criatura Dócil é bem pequeno. Eu tirei um dia da semana santa e li de uma vez.
      Beijo!

      Excluir
  2. Uma resenha de Dostoiévski! :O Que maravilha.
    Não conhecia o livro (de novo) e já até coloquei entre os "vou ler" no skoob porque gostei. Sua resenha ficou top. Parabéns.

    http://cantinadolivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi Eduarda!

    Eu li o autor já faz bastante tempo e está mesmo na hora de voltar a ler. Esse mês li um livro de Leskov também com tema e personagens bem fortes. Acho que a literatura russa tem muito disso de nos tirar de nossa zona de conforto e nos confrontar. Gostei muito do livro e vou anotar para uma futura leitura.

    Beijos

    http://poesiasprosasealgomais.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir